Como administrar meu salário: a maneira inteligente do cristão priorizar seus gastos pessoais

como administrar meu salário

Como administrar meu salário? O que o cristão deve priorizar ao receber seu salário? Pagar contas? Doar? Gastar com lazer? Dizimar? Ofertar?

Não sei você, mas eu já tive muitas dúvidas sobre isto. Para ser sincero, eu não sabia como administrar meu dinheiro. Não sabia o que fazer ao ganhar dinheiro.

CRV Ciclo Virtuoso de Renda - como administrar meu salario

Hoje, vejo o quanto essa dúvida arruinava minha vida financeira. A verdade é que essa falta de priorização foi uma das principais causas dos fracassos financeiros que tive no passado. E digo mais: se você não possui a vida financeira que poderia ter, provavelmente a causa está na priorização equivocada dos gastos.

Graças a Deus, tudo mudou em minha vida quando comecei me educar financeiramente. Tudo mudou, quando conheci e apliquei o que as Sagradas Escrituras ensinam sobre como administrar dinheiro.

Entretanto, muitos cristãos ainda não sabem como priorizar (de forma correta) o uso de suas rendas. Foi por isto que desenvolvi um sistema simples para demonstrar a forma correta de priorização do uso da renda. O nome deste sistema é “Ciclo Virtuoso de Renda” (CVR).

CRV- Ciclo Virtuoso de Renda

Então, se você tem se perguntado: como administrar meu dinheiro? Continue lendo este artigo e descobra a maneira correta do cristão priorizar o uso do seu salário.

Praticando o que está escrito aqui, você realizará seus objetivos financeiros mais facilmente; será um doador mais generoso e ainda estará mais alinhando com a visão bíblica sobre finanças.

Dito isto, vem comigo e conheça quais devem ser suas prioridades ao “ganhar” seu salário.

1º Prioridade: Contribuir

ciclo virtuoso de renda - contribuir

A primeira coisa que todo cristão deve fazer ao receber seu salário é contribuir com a obra de Deus. Antes mesmo de pagar o aluguel, o financiamento ou mesmo a conta de energia, o recomendado é que você separe parte da sua renda para contribuir com a casa de Deus.

Ai você me pergunta: Por quê? Por que contribuir antes mesmo de pagar minhas contas?

Eu te respondo: Porque quando priorizamos Deus em nossas finanças, o colocamos como Senhor de nossas vidas. Dizemos para Deus e o mundo que o Senhor é o nosso bem mais precioso, e isto é sinal evidente de adoração a Ele.

Mas não para por ai… Honrar ao Senhor com as primícias ainda colabora para que você seja próspero financeiramente. Confira:

Honra ao SENHOR com os teus bens e com as primícias de toda a tua renda; e se encherão fartamente os teus celeiros, e transbordarão de vinho os teus lagares.
Provérbios 3:9-10

Honrar significa “tratar de forma diferente, distinguir”. E Deus se alegra quando tratamos de forma diferente parte de nossas rendas a fim de priorizar a sua obra. Ele se alegra quando o honramos desta forma.

Se você é dizimista (o que eu recomendo que seja), antes mesmo de pagar suas contas, priorize Deus separando seu dízimo. Se você é ofertante, já separe uma oferta ao receber seu salário.

Conheço pessoas que gostariam de contribuir mas não fazem. Não contribuem pois não conseguem priorizar isto. Elas olham para suas contas e falam: não posso dizimar nem ofertar pois não consigo nem mesmo pagar minhas contas!

Quando ouço isso, me lembro do que o salmista disse: “Já fui jovem e agora sou velho, mas nunca vi o justo desamparado, nem seus filhos mendigando o pão.” (Salmos 37:25)

Se você ainda não é um contribuinte ativo, te dou dois conselhos:

1º Conselho: Tenha um pouco mais de fé

O Senhor não quer te causar sofrimento, Ele quer que você tenha paz em todas as áreas da vida (Jeremias 29:11). Deus é bom e Ele quer te dar boas coisas (Mateus 7:11). A alma generosa prosperara (Provérbios 11:24-25).

Muitos se enganam pensando que a contribuição é para beneficio exclusivo da obra de Deus. Na verdade, o maior beneficiado é aquele que contribui. É como Cristo falou: “é melhor dar do que receber” (Atos 20:35).

2º Conselho: Planeje-se

Se você deseja ser um contribuinte generoso, planeje-se para isto.

Se suas obrigações financeiras estão maiores que sua capacidade de pagamento, é provável que você não se planejou bem.

Quando afirmo isto, alguns retrucam: não dá para quitar todas as contas recebendo um salário mínimo!

Se este é o seu caso, escute: não sou hipócrita de dizer que um salário mínimo é suficiente para arcar com todas as necessidades básicas de uma família. Em contrapartida, afirmo que grande parte das pessoas agem da seguinte forma:

Quando recebem mil, gastam mil. Quando recebem 5 mil, gastam 5 mil. Quando recebem 10 mil, gastam 10 mil.

E ai eu pergunto: como serão contribuintes se devoram tudo que recebem?

Você deseja ser um bom contribuinte? Então recomendo que se planeje para isso. Recomendo que você tenha e siga um orçamento. Afinal, planos bem elaborados levam à fartura (Provérbios 21:5).

Falando em orçamento, sugiro que baixe o modelo de Orçamento do Vamos Prosperar. Ele é fácil, prático e certamente vai te ajudar a ter gastos mais equilibrados.

» Modelo de Orçamento do Vamos Prosperar

Mas… voltando a Provérbios 3:9-10 que aconselha honrarmos ao Senhor com nossas primícias, devo fazer uma pequena ressalva.

No Antigo Testamento, primícias era diferente de dízimo. Naquele tempo a maioria obtinha renda do fruto da terra. Logo, as primícias se referiam aos primeiros frutos da colheita ou dos primogênitos dos animais criados.

Por exemplo, para quem criava ovelhas, a primícia seria ofertar cada um dos primeiros cordeiros gerados por suas ovelhas. Se uma ovelha gerasse 15 cordeiros, apenas o primeiro era considerado a primícia.

Todavia, devemos notar que o sistema econômico atual é bem diferente daquele tempo, onde a economia girava basicamente em torno da produção da terra. Devido a esta diferença, acredito que para o cristão atual o princípio de separar as primícias ao Senhor pode ser praticado por meio da priorização do Senhor em nossa renda, ou seja: separando nossas contribuições para Casa de Deus antes de qualquer outra coisa.

Por outro lado, existem pessoas que honram a prática da primícia contribuindo (além dos dízimos e ofertas) com o primeiro dia de trabalho. Para saber mais sobre isto, recomendo a leitura do artigo “Como praticarmos as primícias hoje” do pastor Pr. Luciano Subirá.

2º Prioridade: Poupar e investir

ciclo virtuoso de renda - poupar e investir

Escute o que vou dizer: você é importante! Se não fosse, Deus pai não teria enviado seu próprio filho a morte na cruz por você (João 3:16).

Agora ouça outra verdade: aquilo que é importante, é priorizado!

Infelizmente muitos não percebem o quanto são importantes. E por não perceberem, não si dão prioridade.

Pense… Ao receber seu salário, você prioriza pagar a empresa que te fornece energia elétrica ou prioriza poupar dinheiro para realizar o sonho da casa própria? Ao receber você prioriza o pagamento da conta de água ou prioriza seu projeto de ter um complemento em sua aposentadoria? Quando você recebe seu salário, você paga primeiro aos outros ou “se paga” primeiro?

Quero dizer o seguinte: depois de contribuir com a obra de Deus, você deve poupar e investir parte da sua renda para investir na realização dos seus objetivos financeiros de médio e longo prazo.

Antes mesmo de pagar suas contas, você deve poupar. Mas por que fazer isto antes mesmo de pagar contas essenciais?

Porque aquilo que não é priorizado, não é realizado!

Em outras palavras, se você não priorizar seus objetivos, eles nunca serão realizados.

Muitos dizem: vou poupar o que sobrar no final do mês. O que acontece? Não sobra nada. Logo, não conseguem poupar. Se não poupam, nunca realizarão grande parte de seus objetivos financeiros. Como consequência, passarão por grandes dificuldades financeiras quando imprevistos acontecerem. E para piorar, ainda serão considerados insensatos pela Palavra de Deus.

Na casa do sábio há riquezas poupadas e alimentos armazenados; o insensato, entretanto, engole tudo o que pode num instante.
Provérbios 21:20

Agora me diga: olhando por esta perspectiva, quantos insensatos você conhece? Quantas pessoas que não poupam nada e engolem tudo o que recebem? E mais importante, me diga: você é insensato?

Essa palavra é dura, mas é cheia de amor. Deus quer que você também poupe e invista em você.

Aqui, vale resaltar: a falta de prioridade é um dos 6 motivos pelos quais as pessoas não conseguem poupar. Caso queira conhecer os outros 5 motivos, acesse o artigo “Quero economizar, mas não consigo poupar dinheiro!“.

Quando digo poupar e investir, digo que você deve destinar parte da sua renda para realização de sonhos financeiros, para aposentadoria financeira, independência financeira e para imprevistos. Aí vem a pergunta:

Quanto devo poupar?

O recomendado é poupar pelo menos 10% da sua renda.

Quando falo isso, muitos dizem que é impossível poupar este percentual. De fato, para quem não poupa nada, poupar 10% é uma tarefa quase impossível. Se este é seu caso, comece poupando 1%, tenho certeza que este percentual é viável para você. Com o passar do tempo, vá aumentando gradualmente.

Se todos soubessem os grandes benefícios que há no hábito de poupar, todos poupariam. A própria Bíblia nos conta uma bela história sobre poupança.

Você lembra dos 7 anos de fartura seguidos de 7 de escassez vividos pelo Egito? E o mais importante: você lembra da saída dada por Deus para os período de escassez? A saída foi poupar 20% de toda a renda gerada no período de fartura!

O final da história você já sabe. Após poupar um quinto da produção no período de fartura, quando chegou a escassez, o Egito prosperou em meio a fome. O mesmo pode acontecer com você, se poupar, mesmo em meio a crise você terá prosperidade financeira.

Quando lembro disso, me vem a memória a história de tantos conhecidos. Pessoas boas, fieis e corretas mas que, por não terem o hábito de poupar, se afundaram financeiramente diante de um desemprego, de um problema de saúde ou de uma crise.

Talvez você conheça pessoas assim, talvez você seja uma destas pessoas. Mas grave em sua mente algo: quem poupa tem!

Invista o dinheiro poupado

Poupar não é apenas importante, poupar é fundamental para que você tenha uma vida financeira próspera. Mas devo dizer: melhor do que apenas poupar, é investir o dinheiro poupado. Ou seja: é melhor multiplicar o dinheiro guardado do que apenas guardá-lo.

É isso o que a Bíblia no ensina na parábola dos talentos (Mateus 25:14-30). Parábola esta que conta a história de pessoas que receberam uma certa quantidade financeira. Aqueles que investiram o que receberam, foram elogiados e receberam ainda mais. Já aquele que apenas poupou e não investiu, além de ter sido chamado de servo mau e negligente, ainda perdeu o que recebeu.

Portanto, você precisa investir o dinheiro poupado!

Mas onde investir?

Se você não sabe investir em ações, imóveis, Tesouro Direto, CDBs, LCI e LCAs, comece investindo na Caderneta de Poupança.

Sim… a Caderneta de Poupança rende pouco, mas já é um começo.

Comece investindo na Poupança, assim que você estabelecer o hábito de poupar, aprenda a investir em opções melhores evitado assim investimentos que rendem pouco e fazendo seu dinheiro render mais.

3º Prioridade: Gastar

ciclo virtuoso de renda - gastar

Agora que você já contribuiu e poupou, é hora de gastar!

Mas atente-se para a seguinte ordem dos gastos:

Primeiro, contas essenciais

O recomendado é que as contas essenciais (água, energia, condomínio…) sejam pagam primeiramente. Cumprindo assim o mandamento de Cristo: “Dai a César o que é de César, e a Deus o que é de Deus”. (Mateus 22:21)

Depois, gastos com lazer

Agora é a parte que a maioria mais gosta. É hora de gastar sem grandes compromissos, é hora de gastar com passeios, cinemas e restaurantes.

Acredito que você deve separar um percentual da sua renda para gastos deste tipo. Eu por exemplo, destino ao menos 25% da minha renda para lazer. Afinal, é digno desfrutar do resultado de nosso trabalho:

E a todo o homem, a quem Deus deu riquezas e bens, e lhe deu poder para delas comer e tomar a sua porção, e gozar do seu trabalho, isto é dom de Deus.
Eclesiastes 5:19

Quando o assunto é “gasto com lazer”, o mais importante é que haja equilíbrio. Nem exagero, nem escassez, equilíbrio é a palavra-chave.

Sim… isto é obvio! Mas mesmo assim, não posso deixar de dizer, afinal, conheço tantos casais que separam dinheiro para reformar a casa, para trocar o carro e o computador, mas não separam recursos para um período de lazer a dois. Não separam recursos para um passeio ou mesmo para conhecerem um bom restaurante.

Lazer não é luxo, é necessidade!

Este é outro ponto que mudou em minha vida quando passei a me educar financeiramente. Antigamente, eu sempre priorizava gastos com “coisas”. Preferia comprar um celular, a fazer uma viagem. Preferia comprar bens para casa, a conhecer um restaurante. Preferia coisas, a experiências.

Mas saiba algo: pesquisas indicam que comprar “experiências” dá mais satisfação do que adquirir “coisas”.

Exemplificando: a satisfação gerada por uma viagem com seu cônjuge tende a ser superior a satisfação pela compra de um eletrodoméstico. O prazer de conhecer um restaurante, geralmente é maior que o prazer pela compra de um utensílio doméstico.

Mas atenção! Não estou dizendo que você deve gastar apenas com lazer, estou dizendo que é preciso ter equilíbrio. Estou dizendo que, assim como são separados recursos para gastos essenciais, também é preciso separar uma quantia para lazer.

4º Prioridade: Doar

ciclo virtuoso de renda - doar

Após contribuir, poupar e gastar, é hora de doar!

A doação é uma essência do cristianismo. Deus é por natureza um doador. Inclusive, o maior exemplo de doação foi dado por Ele, que doou seu próprio filho ao mundo por mim e por você (João 3:16).

E nos: o que somos? A Bíblia diz que somos imagem e semelhança de Deus (Gênesis 1:26-28). Neste mesmo sentido, Paulo nos convida a seremos imitadores de Cristo (1 Coríntios 11:1). Já Cristo, revela que é melhor dar do que receber (Atos 20:35).

O que aprendemos com isso? Aprendemos que não há vida cristã sem doação!

Algo mais precisa ser dito: a vida cristã é integral. Portanto, do mesmo modo que você doa seu talento, seu trabalho e seu tempo a Deus e ao seu próximo, você também precisa doar parte dos seus recursos financeiros. Lembre-se: a fé sem obras é morta!

Meus irmãos, que aproveita se alguém disser que tem fé, e não tiver as obras? Porventura a fé pode salvá-lo?
E, se o irmão ou a irmã estiverem nus, e tiverem falta de mantimento quotidiano,
E algum de vós lhes disser: Ide em paz, aquentai-vos, e fartai-vos; e não lhes derdes as coisas necessárias para o corpo, que proveito virá daí?
Assim também a fé, se não tiver as obras, é morta em si mesma.
Tiago 2:14-17

Em meus estudos sobre Educação Financeira, algo me chama atenção. Até mesmo educadores financeiros que não são cristãos alertam para a importância da doação. T. Harv Eker (autor do best seller Segredos da Mente Milionária) é um exemplo.

Agora eu te pergunto: por que autores seculares dizem que é importante doar?

Para responder a esta questão, peço que você reflita um pouco… Certa vez um estudo revelou quais são as profissões que mais trazem felicidade e realização. Sabe quais profissões ganharam? Primeiro padres e pastores, depois bombeiros e fisioterapeutas.

E o que há de comum nestas profissões? A tarefa fim delas é ajudar pessoas. Ou seja: há grande felicidade no ato de contribuir com o próximo. Este é um dos motivos pelos quais Cristo diz que é melhor dar do que receber (Atos 20:35).

Agora, pense o seguinte: quanto mais você usar o dinheiro para ajudar ao próximo, mais realização você terá. Sendo assim, você buscará mais formas de ter mais dinheiro, para poder ajudar mais pessoas e assim ter mais satisfação. Este é um dos motivos pelos quais a Bíblia diz que a alma generosa prosperara (Provérbios 11:24-25).

É por isso que autores seculares também recomendam a doação. Porque o maior beneficiado é o doador!

Agora me diga: qual foi a ultima doação que você fez? Foi nesta semana? Neste mês? Neste ano? Ou você nem se lembra?

Eu te convido a ser um doador. Deste modo, além de cumprir o que Cristo determina, você será um cristão mais realizado, mais pleno e mais próspero.

Quem dá aos pobres não passará necessidade, mas quem fecha os olhos para não vê-los sofrerá muitas maldições.
Provérbios 28:27

Como administrar meu salário: Conclusão

Contribuir, poupar e investir, gastar e doar: esta é a ordem correta de priorização do salário do cristão.

Tenha em mente o seguinte: o conhecimento deste artigo é extremamente valioso. E mais: ele transformou a minha vida e pode transformar a sua também!

As vezes é difícil colocar em palavras os grandes benefícios que pequenas atitudes trazem. Mas quero enfatizar: quando conheci as prioridades que minha renda deveria ter, passei a ser mais generoso em minhas doações; Passei a realizar mais facilmente meus sonhos financeiros por meio da poupança e dos investimentos; E mais: passei a contribuir melhor com obra de Deus.

Portanto, analise sua vida financeira e comece a priorizar corretamente o uso do seu salário de acordo com o Ciclo Virtuoso de Renda (CVR):

  1. Contribuir
  2. Poupar e investir
  3. Gastar
  4. Doar

No mais: forte abraço e que Deus te abençoe ricamente!

11 Comentários

  1. Sidineia

    Obrigado Samuel
    há algum tempo com essas leituras tive a luz de começar a economizar, porém me sentia perdida por onde começar. Quando vi seu artigo hoje nem acreditei. Você está mesmo guiado!!!
    Deus abençoe!!!

    Responder
    1. Samuel Vinicius

      Olá Sidineia, que a paz de Cristo esteja com você.
      Fiquei muito (muito, muito, muito…) feliz ao ver seu comentário. Que Deus me conceda graça para continuar nesta missão.
      Espero que você tenha sucesso em seu proposito de economizar. Inclusive, peço que me mantenha informado, viu!?

      Forte abraço e fique com Deus.

      Responder
      1. Sidineia

        Amém!!!
        Também fiquei emocionada com o carinho da resposta.
        Venho tentando desde que conheci o blog, mas hoje me deu um norte. Mantenho informado sim.
        Deus abençoe!!!

        Responder
          1. Samuel Vinicius

            Muito obrigado por informar Sidineia. Fico muito feliz em saber que você tem melhorado a cada sua relação com o dinheiro. Você está em minhas orações. Forte abraço e fique com Deus.

    1. Samuel Vinicius

      Obrigado pelo comentário Junior. Que Deus te abençoe ricamente!

      Responder
  2. Sandra

    A Paz do Senhor, Samuel!
    Este artigo está brilhante!
    Muito obrigada por disponibilizá-lo.
    Que Deus te abençoe!

    Responder
  3. Nayane

    Boa tarde!
    Primeiramente obrigada por compartilhar conosco seu conhecimento, e experiência!
    Fui muito abençoada com este artigo!!!
    Mas, tenho uma dúvida e , se puder me esclarecer agradeço.
    Meu marido é autônomo (prestador de serviços), e não tem data certa para receber, praticamente recebe semanalmente quantias variadas e em dias variados: um valor hoje, outro valor daqui a dois dias e assim sucessivamente.
    Como podemos adotar uma forma simples e eficaz de seguir essa administração da renda, levando em conta que que ele é autônomo usa o carro para trabalhar, paga um estabelecimento uma taxa mensal para executar o trabalho dele, e ele é próprio equipamento de trabalho? Digo isso porque quando se é funcionário, ao receber o pagamento já vem descontado na folha de pagamento todos os tributos e etc, recebendo assim somente o valor líquido podendo fazer todos o cronograma de gastos baseado nesse valor.
    Como fazer isso se a pessoa recebe “picado” quantias variadas e valares variados no decorrer de todo o mês?

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *